Mitologia

Por Mitologia compreendemos ser o estudo dos mitos, lendas e sua interpretação em um determinada cultura. Os mitos serviam para explicar o mundo, a natureza, o universo ou qualquer situação mais complexa nas sociedades antigas.

São histórias repletas de metáforas que encerram um desejo de compreender o mundo ao seu redor. Ainda hoje algumas sociedades trazem em seu escopo cultural remanescências dessas histórias fantásticas…

Hoje vamos conhecer um pouco da historia mitologica de Saturno – filho de Gaia

e Urano…

 13699965_ayW6r

Conta Hesíodo séc. Vlll AC. que o mundo foi criado assim: havia o Caos, um imenso espaço aberto e ilimitado. Aí surgiu Gaia, a Terra, a primeira realidade sólida. Depois veio a Noite. Mas ainda restava um espaço vazio sobre Gaia, e para preenchê-lo Gaia criou um ser igual a ela, o Céu – Urano.

Gaia e Urano uniram-se e tiveram muitos filhos violentos e tempestuosos: entre eles os Titãs, forças da natureza. Quando o Caos ficou organizado com todas as divindades primordiais,chamou-se Cosmos.

Cronos, assimilado pelos romanos como Saturno, era o filho mais jovem de Urano e Gaia. Como os filhos de Urano eram terríveis e devastadores, Urano atira-os no Tártaro, o mundo subterrâneo. E continuava fecundando a mulher. Saturno fica revoltado, mas Gaia também está cansada de ter filhos. Os dois entram num acordo e Gaia dá uma foice, afiada por ela, ao filho. Saturno corta os testículos do pai. Mas Urano não morre, pois é imortal. O que morre é o seu reino, que passa a ser ocupado por Saturno.

A foice é símbolo de morte e de colheita, uma nova esperança sempre nasce da natureza. Os órgãos de Urano geram a vida ininterruptamente; privando-o deles, Saturno pode competir com seu poderoso pai e construir um novo reino.

Cronos quer dizer Tempo: a fome devoradora da vida, o desejo insaciável de evolução. Cronos une-se a Réia ou Cibele e faz seu próprio reino. Como um oráculo havia-lhe dito que seria, também, destronado por um filho, Cronos devorava-os assim que nasciam. Esses filhos nasciam e morriam, como se fossem elementos ainda confusos. Mas a evolução precisa continuar e ela só aparece com mudanças. Zeus ou Júpiter derrota seu pai e cria outro reino, a geração olímpica mais evoluída. Essas três gerações, de Urano, Saturno e Júpiter, mostram a evolução da humanidade. A última talvez corresponda ao Homo Sapiens, ou ao ser consciente, bípede, falante e criador.

Quando Júpiter derrotou Saturno, prendeu-o por dez anos no rio Tártaro e dividiu o mundo com os irmãos.

Em Roma realizavam-se festas, chamadas Saturnálias, em honra desse deus, no mês de dezembro.

Nessas festas invertiam-se as posições sociais e os escravos davam ordens aos senhores. Em Roma, Saturno estava ligado à agricultura.

Mais tarde, foi simbolizado como o velho Papai Noel (o que mostra que esse deus dava presentes às crianças que mereciam).

Fonte:-http://vanessatuleski.com.br/

Origem Festas de Junho…

Origem da Festa Junina

552596_64725507 

Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

 Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenasafro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.  

Festas Juninas no Nordeste 

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas. 

Comidas típicas 

303509_10151671997376992_498301186_n

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.

Tradições

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.

Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.

santos

Fonte: http://www.suapesquisa.com